Debian-BR-CDD é a distro da prefeitura de Fortaleza

O Debian-BR-CDD foi selecionado para ser a distribuição oficial da prefeitura de Fortaleza após análise realizada entre 4 diferentes distribuições GNU/Linux. Segundo relatório divulgado no site do PNAFM:

“A escolha foi feita seguindo metodologia que consistiu em atribuir pontuação a cada uma das distribuições selecionadas para avaliação (Debian BR CDD, Fedora, Slackware e Ubuntu). Os itens julgados foram: versão do kernel, suporte ao idioma português do Brasil, sistema de gerenciamento de pacotes, custos de aquisição e atualização, ferramentas para configuração do sistema em ambiente gráfico, suporte técnico, detecção de hardware, usabilidade, atualização de pacotes, lançamentos de atualizações de segurança, existência de comunidade de usuários, existência de aplicativos de uso mais comum, facilidade de instalação, segurança, desempenho e continuidade da distribuição.”

Fiquei bastante contente com a notícia, e fiquei também curioso em saber onde o Debian-BR-CDD obteve melhor pontuação, e onde devemos melhorar. Eu realmente gostei da análise, e fiquei ainda mais satisfeito em perceber que os pontos fracos apontados pela equipe de técnicos nomeados são exatamente os que concordamos dentro da equipe, e que estamos preocupados em melhorar nas próximas versões. Segue abaixo alguns pontos da minha leitura sobre a análise:

(1) Versão do Kernel: o Debian-BR-CDD atualmente utiliza a base estável do Debian, ou seja, a suite Sarge, o que inclui seu kernel padrão, na versão 2.6.8. Mantemos alguns pacotes específicos por conta de bugs graves, mas pra cada pacote mantido pela equipe, é mais um backport a ser feito, e mais tempo dedicado de um dos poucos desenvolvedores pra poder mantê-lo. Quando se trata de manter um pacote do kernel Linux, a responsabilidade aumenta bastante, principalmente pela questão da segurança e códigos em desacordo com a DFSG que podem estar lá dentro. O Debian tem um time que trabalha pesado pra conseguir manter o kernel com um bom padrão de qualidade, segurança e sem problemas com copyrights e patentes. A nossa meta é em breve ter um kernel mais atualizado no Debian-BR-CDD, seja dedicando tempo dos desenvolvedores pra mantê-lo ou de alguma outra forma que encontrarmos. Pode-se encontrar os tickets sobre atualização do kernel prevista para a versão 1.99.1. Na minha opinião, a pontuação obtida nesse quesito foi de fato justa, precisamos atualizar nosso kernel.

(2) Outro item que o Debian-BR-CDD obteve pontuação baixa foi em relação ao pacote Office. Penso que isso deve-se ao fato de ainda utilizarmos o OpenOffice.org 1.1.3, mais uma vez a mesma versão presente na Sarge. Reconhecemos que o BrOffice.org é a melhor opção, e que o OpenOffice.org 1.1.3 está de fato tornando-se obsoleto. Tentamos criar um backport do BrOffice.org com máquinas virtuais Java livres, ainda sem sucesso. Há um ticket aberto nesse sentido, que pretendemos fechá-lo para a próxima versão do sistema (1.99.1).

(3) Instalação. Embora a média nesse quesito tenha sido boa, um dos avaliadores mostrou instatisfação. Ainda temos alguns problemas no instalador, mas que em grande parte já foram corrigidos no instalador utilizado na Etch, que será nossa base para a versão 1.99.1 (rumo a 2.0).

A única crítica que tenho a fazer no momento é em relação a falta do critério “licenciamento”, onde ao meu ver, não se julgaria qual licença é “melhor” que outra, mas qual distribuição oferece uma política de licenciamento mais adequada para o fim em questão, ou em qual distribuição se encontra uma maior garantia de que não se infringe copyrights ou patentes. Esse é um ponto importante para projetos de cunho governamental, principalmente.

É claro que diante desse relatório não se tira qual distribuição é melhor ou pior, mas no mínimo conclui-se que o Debian-BR-CDD tem conseguido atingir seu objetivo, que é oferecer uma boa distribuição para estações de trabalho, voltada para usuários brasileiros. Devemos lembrar que uma das razões fundamentais para a escolha do Debian-BR-CDD deve-se aos pontos atingidos por se oferecer toda uma estrutura no idioma português que inclui, além dos próprios softwares, seu sítio na WEB, documentações, lista de discussão, canal IRC e a própria comunidade brasileira. Isso significa que grande parte do mérito por essa conquista de novos usuários em Fortaleza vai para as pessoas que não necessariamente são programadores no projeto.

Por fim, fica meus parabéns ao pessoal de Fortaleza pelo ótimo trabalho e a toda equipe do projeto Debian-BR-CDD, que além de competentes são ótimas pessoas.

%d bloggers like this: