Sou fã desse cara

Meu amigo Nelson, não pude deixar de publicar esta resposta. Em primeiro lugar, para mostrar até onde vão os argumentos de quem ainda teima a favor da patenteabilidade de software, em segundo, para dar o exemplo de uma resposta educada e inteligente diante de situação triste como essa.

—————————————-
[…]
> Não discutirei o artigo postado mas responderei brevemente sua
> indagação sobre a existência de patentes de software.
>
> A resposta é sim, existem e o INPI já vem concedendo tais patente há
> bastante tempo.

O fato de que o INPI “já vem concedendo tais patente (sic) há bastante tempo” não significa que tais patentes sejam legais.

> Na verdade, não há qualquer problema na concessão dessas patentes,
> até porque não há impedimento legal quanto à patenteabilidade de
> software.
>
> Considerando que a lei 9279 diz que o programa de computador em si
> não é invenção e entendendo que o SOFTWARE não é a mesma coisa que
> programa de computador (protegido por direito autoral)

Se o melhor argumento a favor das patentes de software é que “programa de computador” é algo diferente de “software”, este é mais um sinal da falta de bons argumentos para defender a validade de tais patentes.

Como especialista em sistemas de informação, eu posso afirmar que esta diferença não existe.

[]s


Nelson Ferraz

%d bloggers like this: