Recomendadíssimo: “Na selva das cidades”

A peça está em cartaz na Aliança Francesa em SP (metrô República). O release pode ser lido no documento (.doc) em:

http://www.aliancafrancesa.com.br/cultura/selvadascidades/release.doc

Na selva das cidades

“A montagem apresenta uma releitura do texto com adaptações para a atual realidade do País. Em cena, 13 atores dão vida à implacável luta pela sobrevivência na destruição causada por dois homens, que se enfrentam sem motivo algum. A peça expõe a relação do homem com o dinheiro (fisicamente), sendo ele praticamente o protagonista de toda a história. “Queremos que as pessoas saiam do teatro e façam uma reflexão sobre o que acabaram de ver. Estamos convidando as pessoas a pensarem”, comenta Marcelo Marcus Fonseca.

A disputa pelo poder e a ganância do ser humano moderno que destrói seu semelhante sem saber por que surge no texto de maneira bem explicita. “A peça é um retrato de uma sociedade agressiva, egoísta e intolerante que massacra a delicadeza e compra opiniões em um mundo onde as pessoas estão se destruindo cotidianamente e destruindo tudo em sua volta”, completa Fonseca.

Outro ponto auge da montagem são as músicas originalmente compostas que trazem uma boa dose de rock pesado até melodias inspiradas na sinfonia “Floresta do Amazonas”, de Villa-Lobos. O ator Wanderley Martins, um dos apaixonados pela obra de Brecht desde os anos 70, declama o poema “Lenda do Soldado Morto”, de autoria do próprio autor, e responsável pela colocação do nome de Brecht em quinto lugar na lista negra dos que seriam assassinados se o “putsch” de Hitler em 1923 tivesse vencido. O poema surge na montagem em uma versão musical com acordes eletrizantes de guitarra transformando-se em uma opera moderna. Já a cantora Cida Moreira solta a voz, também ao vivo, durante o espetáculo com versões de músicas de soul e jazz conhecidas pelo grande público.

Na Selva das Cidades foi apresentada pela primeira vez no Brasil há exatos 40 anos, pelo Teatro Oficina. Na época contou com a direção de José Celso Martinez Correa. Na época o Brasil vivia o regime da ditadura militar.”

Dica para os que chegaram até aqui:

“A entrada custa R$ 20, mas as pessoas que falarem na bilheteria sobre a divulgação da peça no site pagam apenas R$ 8. A temporada está com apresentações aos sabádos, às 21h e domingos, às 20h até 22 de novembro.”

http://catracalivre.folha.uol.com.br/2009/10/na-selva-das-cidades-esta-de-volta-na-alianca-francesa/

%d bloggers like this: