Monthly Archives: January 2010

don’t be ingenuous

It’s only about business.

Advertisements

A Bahia como ela é…

O metrô de Salvador é o mais lento do mundo. Mas isso não tem graça: ele já custou R$ 1 bilhão e não funciona

Alguns trechos da reportagem:

O projeto inicial previa 41 quilômetros, só que o investimento foi todo consumido no primeiro trecho, que deveria ser de 12 quilômetros, mas foi reduzido à metade. Para agravar, um estudo de viabilidade econômica do projeto mostra que, para cobrir os custos de operação, o bilhete do metrô poderá custar entre R$ 10 e R$ 15, seis vezes o preço em São Paulo.

É, sem dúvida, a síntese do que há de pior na administração pública brasileira: corrupção, burocracia, incompetência e descaso com o cidadão.

Alguns comentários:

Givanildo
EM 27/12/2009 17:53:55
Salvador há muito não é merecedora do apelido carinhoso de boa terra. É uma cidade pobre, que não se sustenta sem ajuda efetiva do Governo do Estado e do Governo Federal. Para completar, todas as obras que começam nunca terminam devido às disputas políticas. É uma pena.

RICARDO SILVA
EM 23/12/2009 23:34:38
A Bahia vai muito mal. Um Estado atrasado, onde só mudaram os marqueteiros mentirosos. Uma verdadeira província. Nossa capital parou no tempo: violentíssima, sem nenhuma infraestrutura, paupérrima e desorganizada. Não poderia ser diferente o autorama baiano. Uma tristeza…

Alex
EM 22/12/2009 23:25:03
Salvador está um inferno de cidade para se viver. Nasci aqui mas estou louco para cair fora. A cidade só funciona bem durante 5 dias (carnaval). É uma cidade ótima apenas para curtir nesses dias e depois cair fora……..

Agradável domingo paulistano

São Paulo supreende. Um domingo de sol na Av. Paulista é suficiente pra gente se deleitar numa intensa programação cultural, gratuita e cheia de surpresas.

Hoje foi um dia especial. Algumas coincidências, uma palestra linda e uma apresentação musical inspiradora.

A palestra foi por conta da Neuza Guerreiro de Carvalho, mulher de 79 anos, bióloga de profissão, de mente super-ativa, criativa, inteligente, ocupadíssima e muito simpática – que fala (e escreve) sobre quase tudo. Hoje ela dedicou duas horas a um público interessado na São Paulo antiga, no evento “Um chops, dois pastel” promovido pela Casa das Rosas, em celebração ao aniversário da cidade. Após a apresentação tivemos o prazer de sentar na mesma mesa do café, compartilhar os pastéis e ter uma conversa muito agradável com a “vovó blogueira”, rótulo que ela própria critica com bom humor. (no domingo próximo ela estará novamente na Casa das Rosas contando a história da Av. Paulista!)

Em seguida houve a apresentação de Izzi Gordon, acompanhada do guitarrista Abel Cardoso, com direito a canja da família: seu irmão Tony Gordon, sua mãe Denise Duran (irmã de Dolores Duran, outra simpatia, cantora e atriz!) e seu marido Edu Negrão.

Após o show dei de cara com um rapaz que vestia uma camiseta do GNU vetorizado (por nosso amigo de longa data, Aurélio Heckert). Eu o abordei e disse que tinha uma igual aquela (foi só pra puxar conversa). Conversamos por alguns instantes, fiz umas perguntas e ele comentou que teve um professor na Mackenzie que era apaixonado por software livre. Tássia completou: “é Rogério Brito!”. Isso mesmo, foi aluno do nosso amigo Rogério Brito. Disse ainda que embora tenha se dado mal nas disciplinas dele, soube separar as coisas e tornaram-se amigos 🙂 Seu nome é Victor. Acho que Rogério vai gostar de saber dessa coincidência. Outra coincidência engraçada foi ter avistado o companheiro de ciberativismo, Sérgio Amadeu, dentro de um dos carros que aguardavam o semáforo da paulista exatamente no momento em que atravessávamos. A cidade é grande, mas o mundo é mesmo pequeno 🙂 E viva os domingos ensolarados em SP!

Uma vergonha…

“Que merda: dois lixeiros desejando felicidades do alto da suas vassouras. Dois lixeiros… o mais baixo na escala do trabalho.”

— Boris Casoy, em sua mensagem de natal para o povo, (acidentalmente?) transmitida para todo o Brasil.