Tag Archives: política

Revista Veja, a versão e o fato

Versão:

A capa de VEJA desta semana, com José Serra, candidato do PSDB à Presidência da República, transformou-se rapidamente em um “viral” – nome que se usa na internet para a divulgação espontânea de um tema ou produto. A fisionomia sorridente e descontraída do tucano levou muita gente a imitar sua pose no site O Brasil pode mais – título extraído de um discurso de Serra.

http://veja.abril.com.br/noticia/ciencia-tecnologia/capa-veja-serra-inicio-viral-web-552178.shtml

Fato:

José Serra

José Serra

Palhaçada do Comitê Olímpico Brasileiro

Já não bastam as regalias do ato olímpico no congresso, o COB e COI querem exclusividade no uso dos seguintes termos no Brasil.

a) Jogos
b) Jogos de Verão
c) Rio
d) 2016
e) Dois mil e dezesseis
f) Vinte dezesseis
g) Medalhas
h) Medalha de ouro
i) Medalha de prata
j) Medalha de bronze
l) Patrocinador

O documento é de dez/2009 mas ao que tudo indica ainda não foi apreciado. O ofício original pode ser lido aqui: http://miud.in/3G3

simplesmente patético.

Arruda, “a melhor vitrine do partido para 2010”

Esta imagem foi retirada do blog do Luis Nassif, num post de título “A criação da reputação na política”. Eu gosto de insistir nessas lembranças. Vejam como a Veja exalta o meliante do panetone:

Arruda segundo Veja

Agora, o Arruda por ele próprio, e como todos nós já o conhecemos:

Arruda por ele mesmo

Esse já disse pra que veio…

Depois de pedir vistas dos autos em prol do Azeredo, foi o único a voto a favor do Arruda hoje

Toffoli é brasileiro nato, tem 41 anos, não tem mestrado, foi reprovado duas vezes no concurso para juiz estadual e apresenta escassa produção acadêmica. Sua experiência profissional mais evidente, antes de entrar no governo, foi a de advogar para o PT. O fraco currículo, porém, não é o seu maior obstáculo.

Toffoli é duas vezes réu. Ele foi condenado pela Justiça, em dois processos que correm em primeira instância no estado do Amapá. Em termos solenemente pesados, a sentença mais recente manda Toffoli devolver aos cofres públicos a quantia de 700.000 reais – dinheiro recebido “indevidamente e imoralmente” por contratos “absolutamente ilegais”, celebrados entre seu escritório e o governo do Amapá.


http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2009/09/19/toffoli-ministro-reu-224690.asp

Dúvida sobre onde aplicar seu dinheiro?

Nos fundos do Kassab rende mais!

Juntas, Camargo Corrêa, OAS, Carioca Christiani Nielsen, Engeform e S/A Paulista doaram R$ 6,8 milhões para a campanha de Kassab à reeleição. No último ano, elas obtiveram contratos com secretarias da administração municipal que superam o valor doado em 3.400%, […] Maior doadora do comitê do DEM, com R$ 3 milhões, a Camargo Corrêa é a campeã em valor de contratos: R$ 83,2 milhões.

Fonte